[Resenha] A Garota dos Pés de Vidro

Garota dos Pés de Vidro, A

Nome: A Garota dos Pés de Vidro
Autor: Ali Shaw
Ano: 2010
Páginas: 288
Preço: R$14,90 (Submarino)

Sinopse:

Cenários cinematográficos, paisagens paradisíacas, pântanos congelados com animais transformados em vidro, florestas brancas, penhascos monocromáticos, um oceano de baleias, lendas e águas-vivas. 

Este é o universo fantástico de Ali Shaw, autor britânico que renova as fábulas e cria uma inusitada história de amor. Midas é um tímido fotógrafo ilhéu. 

Ida é uma jovem aventureira que vem ao arquipélago de Saint Hauda´s Land buscar a cura para sua misteriosa doença. 

Ela está se transformando em vidro e juntos buscam uma solução. O que eles mais precisam é de tempo - e o tempo está passando rápido. Será que vão encontrar uma maneira de evitar a propagação do vidro? 


Resenha:


Ganhei esse livro da Submarino por ter feito uma compra grande e por ser cliente deles há anos. Esse foi o primeiro que eu li dessa remeça pois a capa e o título instigaram a minha curiosidade. A princípio estranhei um pouco, mas com o passar das páginas me acostumei às perfeitas descrições de Ali Shaw.
O livro começa com Midas Crook, um jovem fotógrafo que esconde vários segredos, caminhando pelo busque da pequena ilha de St. Haudas Land em busca do lance de luz perfeito, para poder tirar a foto perfeita. Porém, alguém atrapalha sua busca: a linda e monocromática Ida Maclaird.
A primeira coisa que Midas notara na mulher, fora suas botas, enormemente grandes para alguém tão frágil como ela. Ida percebendo a distração do rapaz, explica que as botas eram de seu pai, que por sua vez era policial.
Em uma rápida conversa, os dois trocam nomes e principais informações. Midas vai embora apenas com uma idéia na cabeça: precisaria tirar um foto de Ida, o quanto antes.
Nos dias seguintes, apenas Ida e suas botas ficam na mente de Midas. E isso realmente o perturba. Os dois se encontram mais algumas vezes, e ela diz para ele que está de passagem na ilha, morando de favor na casa de seu tio Carl – um professor acadêmico estranho que era apaixonado por Freya, mãe de Ida - , até conseguir encontrar Henry Fuwa, um homem com muitos segredos e que pode ajudá-la na cura de sua doença. Midas, porém sabia do paradeiro dele, mas resolveu não comentar nada com a moça, talvez pela angústia e medo que tinha do passado.
Muitos fatos se sucedem, até que Crook decide se encontrar com Henry Fuwa, para saber se ele realmente sabia o que fazer com os pés de Ida, que estavam se transformando em vidro. Os dois conversam, mas Henry sempre ficava com a pulga atrás da orelha, uma vez que a mãe de Midas, fora a única mulher que ele amara na vida. Fuwa mostra a Midas o gado de asas de borboletas, estranhas criaturas com uma graça própria. Eles têm uma rápida conversa sobre águas-vivas, e então Midas decide ir ao ponto: o vidro que está crescendo no corpo de Ida.
Henry então o leva até o pântano – sua casa – e o mostra um lago, e precisamente dentro do lado corpos de vidro, já com a transformação completa. Midas não consegue imaginar a amada naquele corpo translucido, e implora ao outro para fazer alguma coisa, porém Henry diz que não há nada a fazer, é uma situação que não pode ser controlada muito menos revertida.
Carl volta de sua repentina viajem e descobre sobre os pés de Ida. Ele a leva então, a mulher mais rica da ilha: Emiliana Stallows, com quem no passado teve um caso, levando a separação dela e do marido. Essa mulher, segundo Carl, já havia visto algo parecido e podia sim ajudar a controlar o avanço total do vidro. A idéia seria fazer emplastros de água-viva, onde então, o vidro ficaria paralisado. O tratamento começa e Ida sente muita dor por conta das aplicações.
Uma semana se passa e Midas descobre que na verdade, o tratamento não funcionaria, só daria mais tempo para Ida, até que a transformação se completasse. Ele a tira da casa de Emiliana e a leva para a sua, onde toma todo o cuidado para que ela tenha os melhores dias de sua vida.
Os dois têm uma breve história de amor, na qual eles vão passear de barco – lembrando que Midas tinha pavor de água, pelo fato de seu pai ter se suicidado na água – e num abraço, Ida acaba se transformando completamente em vidro, deixando apenas alguns machucados em Midas, por conta do toque dos dois.
Achei o livro meio viajado, o autor começa uma parte e depois não continua e deixa o leitor totalmente intrigado. O autor também trás a tona o passado de Midas Crook, que seu pai estava se transformando em vidro, e outras histórias que faziam Midas odiar o pai que tinha o mesmo nome que ele. Tirando isso, gostei do livro, sim. Mas quem quiser lê-lo, deve estar com a mente bem aberta e a imaginação a toda. 

Minha classificação: ★★★★

[Resenha] O Garoto No Convés

Garoto no Convés, O

Nome: O Garoto no Convés
Autor: John Boyne
Ano: 2009
Páginas: 496
Preço: R$46,00 (Submarino)

Sinopse:

Aos catorze anos de idade, o órfão John Jacob Turnstile perambula pelas ruas de Portdmouth, no sul da Inglaterra, cometendo pequenos furtos. Dois dias antes do Natal de 1787, porém, o que tem início como apenas mais uma delinqüência resulta numa série de acontecimentos que mudarão sua vida para sempre. Para escapar da prisão, embarca às pressas num navio da marinha inglesa na função de criado do capitão. Seu plano é fugir na primeira oportunidade, mas o que o aguarda é uma aventura de proporções épicas, na qual não faltarão conflitos entre os membros da tripulação, tempestades, portos exóticos, ilhas paradisíacas e um motim, que acabaria por se tornar o mais famoso na história naval.
Do mesmo autor de O menino de pijama listrado, O garoto no convés é uma empolgante mistura de romance de formação, aventura marítima e reconstituição histórica. É também o tocante relato das descobertas de um adolescente que parte numa jornada perigosa para fugir de um passado traumático.

Resenha:

Bom, comprei esse livro logo após ter terminado de ler O menino do pijama listrado (em breve resenha aqui no blog). Me apaixonei pela capa, aquele detalhe em cordas e alto relevo, simplesmente me encantaram.
O enredo começa com a apresentação do protagonista: o jovem John Jacob Turnstile, larápio em Portsmouth. Jacob não sabe, mas naquela manhã tudo iria mudar. Ele segue um fidalgo até a biblioteca, pensando em roubar o relógio do cidadão. Eles têm uma rápida conversa sobre livros e John confessa que quando crescer seria escritor. Ele rouba o relógio de bolso do fidalgo e sai correndo mas, na saída da biblioteca ele é pego pela vizinhança que já estava farta de seus roubos incontroláveis. John é levado até a delegacia mais próxima e lá é colocado em uma prisão temporária.
O fidalgo aparece e tira o menino da cadeia e o leva para trabalhar em um navio – o Bounty – no qual seria o criado do capitão William Bligh. Logo que embarca no navio, Jacob sente a pressão de seus superiores e ainda mais: os enjôos constantes.
Ao longo da viagem, Tutu – como era chamado – cria uma relação de confiança com o capitão, se tornando extremamente intimo do mesmo. Muitos conflitos entre os oficiais ocorrem durante a viagem, mas, contudo, ela prossegue normalmente.
Entre brigas e amizades amistosas, Jacob se sente muito bem no navio, era como se sentir em casa, coisa que nunca havia sentido antes, uma vez que era órfão e morava de favor numa casa com outros adolescentes, comandados pelo Sr. Lewis, um homem cruel, que aos poucos, Tutu vai tirando a mascara de homem bonzinho.
As coisas mudam quando o capitão anuncia a parada repentina na ilha de Otaheite, a famosa polinésia afrodisíaca, na qual as mulheres andam nuas e se apaixonam muito rápido pelos viajantes. A chegada é amistosa, com presentes e muita educação, e claro, cuidado para não dar um passo em falso.
Ficaram três meses na ilha, onde, informou o capitão, deviam se reabastecer. Os marujos faziam a festa e Tutu não ficou de fora. Logo se apaixonou por uma menina, e prometeu pra ela o mundo, dizendo que era rico e que a levaria com ele para a cidade grande.
Até que chega o momento da partida e as coisas ficam complicadas, pois os marinheiros não queriam ir embora pois tinham criado laços com as mulheres da ilha de Otaheite. Mas quem manda é o capitão, então foram todos embora, deixando a ilha e seus amores para trás.
Quando já estavam a uma boa distancia da ilha, os marujos decidem fazer um motim contra o capitão. Eis que o evento é realizado, e apenas 14 homens seguem com o capitão, porem apenas lhes deram uma lancha, um pouco de água e de comida. Tutu, claro, foi com eles apesar de repensar a idéia sobre ter de deixar sua amada.
Após um mês no mar, a aventura tem fim, com apenas seis fieis marujos. Chegam a Inglaterra e realizam uma espécie de processo pelos amotinados. Alguns são presos e depois mortos na ilha de Otaheite, enquanto outros nunca mais foram encontrados.
No final do livro, Tutu volta muito bem sucedido, com dinheiro no bolso, aluga um quarto de hotel e decide libertar seus irmãos das garras do Sr. Lewis. O homem, até então bom, é desmascarado: ele vendia os meninos bonitos para senhores da cidade, John fora um deles. Entao para acabar com tudo de uma vez, ele vai até o local e avisa seus irmãos, todos eles fogem, porem ele não encontra o Lewis para acertar as contas.
A partir daquele dia, John decide que quer ser um homem do mar, servindo ao capitão William. Após muitos anos ele se torna capitão e tem seu próprio navio. No final do livro, quando estava saindo do funeral de Bligh, ele reencontra o fidalgo, e agradece pela oportunidade, e, o mesmo oferece um navio para Tutu navegar para cumprir uma missão dada pelo fidalgo. Ele prontamente aceita e deixa sua mulher e seus seis filhos para trás, para seguir com sua aventura.
Gostei muito desse livro, ele passa uma mensagem de superação, incrível. Realmente recomendo pra quem tiver curiosidade de saber como são as coisas do mar, navios, ilhas e mapas, e também claro pra quem estiver a fim de uma boa história.

Minha classificação: ★★★★

[Resenha] Melancia


Melancia

Nome: Melancia
Autor: Marian Keyes
Ano: 2009          
Páginas: 490
Preço: R$14,90 (Submarino)

Sinopse:

O maior sucesso de Marian Keyes. Com este romance engraçadíssimo e irreverente, a autora irlandesa Marian Keyes conquistou milhares de leitores no Brasil e no mundo. A protagonista Claire tem 29 anos, uma filha recém-nascida e um marido que acabou de confessar o seu caso de mais de seis meses com a vizinha também casada. Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e muita depressão, bebedeira e choro. Mas ela decide avaliar os prós e contras de um casamento desfeito depois de três anos e quando começa a se sentir melhor, o ex-marido reaparece para convencê-la a assumir a culpa por tê-lo jogado nos braços de outra. Claire vai recebê-lo, no entanto reservará uma bela surpresa para o ex. 

Resenha:

Antes de comprar esse livro, já havia lido várias criticas negativas em relação a ele, mas como trabalhos de universidade são um pouco mais relevantes do que criticas, tive que comprá-lo. Demorei quase 1 mês para lê-lo.
Bom, a história é bem simples e retrata situações semelhantes de hoje em dia. Claire, vai para o hospital para ter sua filha, Katy. Ainda quando estava em recuperação, seu marido James vai até ela e confessa que estava tendo um caso com a vizinha, e abandona Claire, sem casa, sem nada, apenas com uma criança de colo.
Ela, não vendo outra solução vai para a casa de seus pais. Lá ela passa os piores dias de sua vida: bebedeiras e choradeiras por causo do ex-marido. Até o dia em que sua irmã Helen leva um colega de faculdade para jantar em sua casa: olhos verdes, corpo escultural, Claire logo se apaixona por Adam.
Mas James não demora a aparecer e a dizer que tudo tinha sido culpa dela. Claire fica com uma ponta de culpa, mas logo se toca de que a culpa realmente foi de James, pois se ele realmente amasse Claire, não a teria abandonado.
Os dois combinam de se encontrar novamente, e logo estão vivendo uma história de amor. Porém Adam sempre insistia em saber sobre James, até que um dia Claire lhe conta, e para sua surpresa, Adam confessa que também tem uma filha e que, a partir daquele dia ele teria que cuidar dela, uma vez que a mãe da criança queria retornar a sua vida normal.
Então os dois decidem se casar e ter uma vida normal com duas filhas lindas.
E simples assim é o final do livro. Não gostei, admito. Marian enrola demais e a maioria da obra é os lamentos de Claire. Não recomendo pra quem tem coisas melhores para ler ou fazer. 

Minha classificação: ★ 

[Resenha] O Guia do Mochileiro das Galáxias

Guia do Mochileiro das Galáxias, O

Nome: Guia do Mochileiro das Galáxias – Não Entre Em Pânico: Vol 1
Autor: Douglas Adams
Ano: 2010
Páginas: 160
Preço: R$12,90 (Submarino)

Sinopse:

Considerado um dos maiores clássicos da literatura de ficção cientifica, O Guia do Mochileiro doas Galáxias vem encantando gerações de leitores ao redor do mundo com seu humor afiado.
Este é o primeiro título da famosa série escrita por Douglas Adams, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect.
A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T. que vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do Mochileiro das Galaxias, o melhor guia de viagens interplanetário.
Mestre da sátira, Douglas Adams cria personagens inesquecíveis e situações mirabolantes para debochar da burocracia, dos políticos, da “alta cultura”e de diversas instituições atuais. Seu livro, que trata em ultima instancia da busca do sentido da vida, não só diverte como também faz pensar.

Resenha:

Encomendei o box dessa série na Submarino, ano passado. Fazia tempo que eu queria muito ler os livros do “cara do dia da toalha”.
Bom, o livro começa com uma cena atípica: Arthur Dent deitado em frente a um trator que está prestes a demolir a sua casa para a construção de um desvio. Mas então aparece Ford Prefect, o melhor amigo de Arthur, com um carrinho de compras cheio de cerveja e amendoim. Isso, claro, faz com que todos os pedreiros e mestres de obras desviem sua atenção de Arthur. Prefect então conversa com ele, pedindo pra que fosse até o bar, onde pudessem conversar com mais calma.
Mesmo com muitas rejeições, Dent vai, e Ford começa a dizer que o mundo esta prestes a acabar, realmente. Ele não acredita, porem, 15 minutos depois, naves vogons chegam e destroem a Terra, alegando que esta deveria deixar de existir para a construção de uma estrada hiper-espacial.
Em um segundo a Terra se fora e os únicos terráqueos vivos foram Dent e Prefect, que pegaram uma carona na nave alienígena. Enquanto estavam na nave, Ford explica que na verdade ele é um ET e que veio a Terra a 15 anos atrás para realizar pesquisas de campo e que desde então não captou nenhum sinal de naves, ficando preso ao planeta por todo esse tempo. Aproveitou também para mostrar o Guia do Mochileiro das Galáxias – o maior livro de todos os tempos, se tivesse alguma duvida, procure nele – a Arthur, que ficou maravilhado com a obra, mas ao mesmo tempo confuso pelas letras garrafais que estampavam o livro: Não Entre Em Pânico.
Quando os vogons descobrem que eles estão na nave, os prendem e declamam seus poemas, lembrando que os poemas vogons são os piores do universo. Após essa seção de tortura eles são colocados para fora da nave, e morreriam se não fosse pela nave roubada do presidente da galáxia, Zaphod Beeblebrox.
Agora resgatados pelo primo de Ford, os dois começam suas aventuras pelo universo, porem, Arthur logo descobre que os três não estão sozinhos na nave, há uma mulher, a sua mulher, aquela que Zaphod roubou numa festa a fantasia, Tricia McMillan.
Eles estão indo direto para Magrathea, o planeta que fabricava outros planetas até deixar de existir. Após terem encontrado o planeta e quase terem sido mortos, Arthur é levado por Slartibartfast, o único acordado no local. O velho mostra a Arthur todos os planetas que estão construindo e, claro, a Terra II. Slartibartfast conta que quem mandou fazer a Terra foram os ratos, e até ela ser destruída, eles estavam fazendo testes com os humanos.
Todos são aprisionados, pois os ratos queriam o cérebro de Arthur Dent, para saber a resposta sobre a vida, uma vez que ele foi o ultimo a sair do planeta – o computador mais inteligente, capaz de saber a resposta fundamental, sobre a vida e tudo o mais - , porem, o que Arthur sabe é apenas um numero, 42, que, pra ele não significa nada. O grupo consegue fugir e partem para o restaurante mais próximo: o restaurante no Fim do Universo.
Achei o livro extremamente filosófico – apesar de um enredo meio louco –, ele te faz pensar: mas porque não seria assim? Adams consegue criticar tudo com um ótimo bom humor. Super recomendado. 


    Minha classificação: ★★★★

[Resenha] Virtude Indecente

Virtude Indecente

Nome: Virtude Indecente
Autor: Nora Roberts
Ano: 2009          
Páginas: 294
Preço: R$19,90 (Submarino)


Sinopse:

Quando uma superstar da literatura policial visita a irmã, pretendendo relaxar e espairecer da cansativa turnê de lançamento de seu novo bestseller, vê-se na pista de um assassino da vida real que já desestruturou sua vida e agora... pretende matá-la.
Grace McCabe fica chocada ao descobrir que a irmã Kathleen mora num subúrbio decadente de Washington, D.C., e complementa a renda como operadora de telessexo após ter passado por um divórcio penoso. Entretanto, com a empresa Fantasia garantindo anonimato completo aos funcionários, até onde essa atividade pode ser perigosa? Grace logo descobrirá a resposta quando certa noite, ao regressar para casa, depara-se com uma cena tenebrosa, que poderia ter saído de um de seus mais apavorantes romances.
Ignorando as advertências do tranqüilo detetive Ed Jackson, monta sozinha sua própria armadilha para incitar o assassino a sair do esconderijo.
Mas o que pode protegê-la de um maníaco cuja volúpia de matar não se detém diante de nada... nem de ninguém?



Resenha:

Ganhei esse livro ano passado de minha tia. Vou confessar que não estava lá com aquela animação pra começar a ler esse livro porque já que ganhei naquela versão “vira-vira”, as capas mudam do original e a sinopse não existe então meio que me senti perdida. Até que tomei coragem e resolvi começar a lê-lo.
A história se inicia com um dia típico de uma professora de um colégio de irmãs. Kathleen era separada e tinha um filho, pelo qual ela lutava para ter a guarda, mas como seu ex-marido era extremamente rico, seria difícil conseguir, porém ela continuava na luta.
Aquele dia porém, Katy iria fazer algo diferente: buscar sua irmã no aeroporto. Grace foi sempre a “irmã melhor”, a que dava orgulho para os pais. Era escritora nova-iorquina e daquelas bem famosas, escrevia contos policiais. Enquanto dirigia até o aeroporto, Kathleen se comparava a irmã, ela sempre quieta no seu canto, enquanto a outra fazia amizades em apenas alguns minutos.
Após terem se dirigido até a casa de Kathleeen, Grace se senta a mesa e juntas tomam um café. A conversa se desenrola, coisa atípica entre as duas, até que Grace pede a irmã o que ela está fazendo em relação ao marido, a separação e principalmente ao filho. A outra diz que já contratou um advogado, detetive e tudo o mais. Isso intriga a outra irmã que pede como, pois professores não costumam ganhar lá muita coisa. Katy então revela a irmã que está se “prostituindo”, e que faz isso pelo telefone.
Kathleen atendia por Desireé. Homens ficavam incrivelmente loucos apenas por ouvir a sua voz. Fantasia era o nome da empresa. Era simples e fácil. Era só o cliente ligar e quem estava do outro lado satisfazia-o em troca de dinheiro. Kathleen ganhava em torno de U$900,00 por semana. Após ter conhecimento disso, Grace ficou realmente curiosa e ao mesmo tempo preocupada com a irmã.
A escritora famosa, Grace, conhece o vizinho, Ed, que é policial e, logo de cara se apaixona por ele pelo simples fato dele estar construindo sua própria casa. Os dois conversam e resolvem ir jantar na casa dele.
Após terem voltado, Grace abre a porta da casa e se depara com sua irmã morta. Ed ampara Grace enquanto os policiais e a pericia chegam. Constatou-se que Kathleen morreu por estupro seguido por asfixia pelo fio do telefone. No primeiro momento, Gracy só tem em mente que existia um único culpado: o ex-marido da irmã, mas com o desenrolar da história, ela descobre que isso não passava de uma ânsia por tudo o que ele tinha feito Katy passar.
Bom, pra encurtar um pouco o enredo, o serial killer ataca mais uma vez e na terceira tentativa, a mulher consegue fugir. Com isso, os policiais têm uma base de quem é o assassino. Como a investigação já estava a mil por hora, eles já tinham um suspeito, o filho do governador Hyden, Jerald. Ele tinha prazer em estuprar as mulheres com quem falava ao telefone e depois matá-las por terem mentido sobre quem realmente eram.
Este foi meu primeiro livro da Nora, e como amante de livros policiais, simplesmente adorei o enredo. Ela cria uma seqüência que você não consegue parar de ler até saber o final. Realmente é um livro que te envolve do começo até o fim.

 Minha classificação: ★★★★

[Resenha] Marley e Eu


Nome: Marley e Eu: a Vida e o Amor Ao Lado do Pior Cão do Mundo
Autor: John Grogan
Ano: 2006
Páginas: 272
Preço: R$ 14,90 (Submarino)


Sinopse:

John e Jenny eram jovens, apaixonados e estavam começando a sua vida juntos, sem grandes preocupações, até ao momento em que levaram para casa Marley, "um bola de pêlo amarelo em forma de cachorro", que, rapidamente, se transformou num labrador enorme e encorpado de 43 quilos. Era um cão como não havia outro nas redondezas: arrombava portas, esgadanhava paredes, babava nas visitas, comia roupa do varal alheio e abocanhava tudo a que pudesse. De nada lhe valeram os tranqüilizantes receitados pelo veterinário, nem a "escola de boas maneiras", de onde, aliás, foi expulso. Mas, acima de tudo, Marley tinha um coração puro e a sua lealdade era incondicional. Imperdível.



Resenha:

Bom, comprei esse livro em 2007 e comecei a devorá-lo, como sempre faço. Mas de cara já o achei extremamente enjoativo e larguei. Ano passado criei coragem e reatei minha leitura nele, pois tinha um trabalho de literatura pra realizar em cima da história do mesmo. Diferente da primeira vez, desta o livro me prendeu de uma forma incontrolável: eu queria saber qual seria a próxima aventura do Marley.
O livro basicamente conta a trajetória de vida de um labrador levado que tem muito amor para dar. O desenrolar da história se dá com Jenny querendo ter um bebe, e pra ir se acostumando com a idéia, ela e o marido John, decidem adotar um cachorrinho. Então os dois se jogam nos anúncios de jornal e se deparam com o primeiro anuncio de labradores filhotes. Jenny convence John pra irem dar uma “checada” nos filhotes. Chegando lá, John decide fazer o teste pra ver qual deles é o mais valente, pensando assim que este iria proteger a casa, então ele bate o pé e só Marley fica na frente latindo protegendo os outros filhotes.
Com o cachorrinho escolhido eles voltam pra casa e já no primeiro dia, Marley mostra que não vai ser fácil. Ele latia com medo da tempestade, então John o levou pra dormir com ele.
A história segue, com as travessuras do Marley, como morder relógios, pulseiras, e tudo o que encontra pela frente. Até que ele ganha um amigo, filho de Jenny e John, e depois mais um e depois mais uma menina. Eles se mudam de cidade e de emprego, as coisas ficam difíceis mais com Marley eles conseguem superar tudo.
Até que uma noticia muito triste e desanimadora toma conta de toda a família, Marley tem uma doença grave - nó no intestino - e que após duas intervenções médicas, ficaria difícil ele conseguir viver por muito tempo, sofrendo e deixando todos ao seus redor tristes. John decide em uma rápida conversa com Jenny, que a hora de Marley chegou.
Chegando ao consultório, John faz um desabafo ao cachorro, dizendo que melhor amigo como ele nunca mais iria existir. Chorei muito nessa parte do livro, porque Marley nos faz lembrar nos nossos cãezinhos que já se foram.
Bom, o livro termina com eles adotando um novo cão, porem ele nunca ira substituir a marca que Marley acabara de deixar.
Ótimo livro, super recomendado pra quem gosta de romances e aventura... ou pra alguém que simplesmente gostaria de saber que existem cães piores do que os nossos (brincadeirinha Marley, te amo, haha)


Minha classificação: ★★★★